Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

terça-feira, 27 de junho de 2017

Menu Mitologia: Aramazd

ARAMAZD



Aramazd era a principal divindade do panteão pré-cristão da Armênia. Chamado pelos armênios da época de "Arquiteto do Universo, Criador do Céu e da Terra",era considerado o pai de todos os deuses e deusas, criador do universo.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Menu Mitologia: O Ceifeiro

O CEIFEIRO



Os Ceifeiros, ou Ceifadores, são seres sobrenaturais presentes em diversas culturas do mundo de maneira semelhante. No ocidente, a imagem do Ceifeiro, que também é chamado de Anjo da Morte ou, simplesmente, Morte é associada a uma figura esquelética carregando uma gadanha (ferramenta parecida com a foice, que representa a ação de "colher" as almas, assim como na agricultura) e vestida com uma túnica e um capuz pretos. No oriente é chamada de Yama, Yanluo, Enma Dai Oh, Rei Yomna, ou mais recentemente, Shinigami (Deus ou Anjo da Morte).

sábado, 24 de junho de 2017

Menu Mitologia Indiana: O Colecionador de Dedos

O COLECIONADOR DE DEDOS AHIMSAKA: ANGULIMALA




A fábula deste assassino está descrita nos milenares sutras da tradição budista Teravada.
Ele nasceu há cerca de 2.6 mil anos, no norte da India, no reino de Kosala, a princípio foi um garoto gentil e inteligente, provando ser um aluno exemplar, como seu mestre não tinha filhos , ele e a esposa tratou o garoto como tal, deixando os outros alunos enciumados. 

Então movidos pela inveja eles espalharam um boato que Ahimsaka era amante da mulher do mestre que planejou livrar-se dele. Como última tarefa, e sacrifício a ele, o jovem devia trazer mil dedos da mão direita de mil pessoas que matasse.  

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Menu Mitologia Egípicia: O mito de Osiris

O MITO DE OSÍRIS



Osíris era o deus que, com sua irmã-esposa Ísis, reinava sobre o Egito. Ele havia ensinado aos homens a agricultura e a metalurgia e era amado por seus súditos. Seu enciumado irmão Seth (o deus das tempestades do deserto) o matou, colocou seu corpo num cofre e jogou no Nilo. Ísis procurou o cadáver do marido e o encontrou em Biblos. Ela o trouxe de volta e o escondeu em um pântano. Seth o descobriu, cortou-o em 14 pedaços e os espalhou pelo Egito. Ísis novamente foi atrás do marido, recuperou os pedaços em decomposição, com exceção do falo, e, com eles, fez uma múmia. Com a ajuda de outros deuses mais seus poderes mágicos, Ísis devolveu a vida ao marido e reconstituiu seu membro perdido. O casal gerou Hórus, que foi criado pela mãe e protegido do ambicioso Seth até chegar o momento de assumir o trono. Osíris não recuperou seu reinado terrestre, mas passou a reinar sobre os mortos. Hórus, mais tarde, tornou-se o rei do Egito. Os faraós o sucederam. 

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Menu Alquimia: A Tábua de Esmeralda

TÁBUA DE ESMERALDA



A Tábua de Esmeralda (ou Tábua Esmeraldina) é o texto escrito por Hermes Trismegisto que deu origem à Alquimia.

A Tábua Esmeraldina é considerada o mais antigo registro escrito ou livro de conteúdo metafísico, religioso e ontológico, tratando mistérios e verdades da condição humana, da lógica do Universo e da relação entre essas duas realidades. Sua origem é incerta. A Tábua pertence ao mundo e relatos sobre este objeto são conhecidos no Oriente e Ocidente desde tempos imemoriais.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Mitologia Grega: DEUSES GREGOS

Ola amigos estou trazendo hoje o primeiro de uma serie de posts sobre mitologia, começando com os gregos, espero que gostem. (sempre que possível o post será atualizado com mais deuses

ZEUS


Zeus  deus dos trovões, senhor do Olimpo, era filho de Cronos e Réia. Cronos tinha o hábito de  devorar seus próprios filhos para que não tomassem seu lugar no trono. Até que Zeus nasceu e sua mãe Réia já cansada de tanto sangue e sofrimento deu a Cronos uma pedra embrulhada no lugar de Zeus, salvando sua vida. Réia decidiu que Zeus seria o ultimo filho e encerraria o reinado de sangue e sofrimento e tomaria o trono do pai.
Assim que Cronos descobriu que tinha engolido uma pedra ao invés do filho saiu a procura de Zeus, mas não o encontrou. Zeus foi criado no bosque de Creta e foi alimentado com mel e leite de cabra. E assim quando cresceu foi a procura do pai para combatê-lo, eles viraram grandes inimigos, Zeus obrigou seu pai a engolir uma bebida mágica, que restituiu todos os filhos que no passado tinha devorado. Foi então que Zeus conheceu seus quatro irmãos: Deméter, Poseidon, Héstia e Hades, faltou apenas a Hera que como Zeus foi poupada e não estava ali. Zeus ainda liberou ciclopes que deu a ele o Raio. Então após dez anos, que foi o tempo que durou a guerra, Zeus subiu ao Olimpo junto com seus irmãos Poseidon e Hades que o ajudaram a destruir Cronos, e então comandaram o Céu, a Terra e os demais deuses.
Zeus tinha o poder dos fenômenos atmosféricos e fazia relâmpagos e trovões e com sua mão direita lançava a chuva, podia usar sua força como destruidora, mas também mandava chuvas para as plantações.

Menu Mitos e Lendas: A Lenda de Paganini

A LENDA DE PAGANINI



Niccolò Paganini foi um revolucionário violinista e compositor italiano e tornou-se um dos pilares da moderna técnica de violino.

Paganini não teve uma infância fácil, além de um pai cruel, o menino teve sarampo que o deixou muito doente, quase foi enterrado prematuramente, essa doença deixou Paganini doentio pelo resto da vida...

terça-feira, 20 de junho de 2017

Menu Mitologia Egípcia: Cultos e Templos no Antigo Egito

CULTOS E TEMPLOS NO ANTIGO EGITO



Havia três modos de cultos no Egito antigo: oficial, popular e funerário. O culto oficial era realizado pelo faraó e pelo corpo de sacerdotes nos grandes templos e em diversas regiões do Egito. Era endereçado aos deuses do panteão egípcio. Os deuses locais tinham uma importância maior no culto. Dessa forma, na cidade de Mênfis, a tríade constituída pelo deus Ptah (deus dos artesãos, mas considerado criador nessa cidade), pela deusa Sekhmet (deusa solar de grande poder e responsável pelas doenças e pela cura) e pelo "filho" Nefertum deveria ter uma atenção maior. Já em Tebas, o deus Amon-Ra — visto aqui como um deus criador —, sua consorte, a deusa Mut (a mãe), e Khonsu, um deus de característica lunar, ganhariam mais destaque. Mas apenas poucas cidades tinham tríades divinas como essas. 

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Menu Mitologia Oriental: Chan Chu

CHAN CHU



Chan Chu (chinês tradicional: 蟾蜍; Pinyin: chánchú; Wade-Giles: ch'an-ch'u) significa "sapo" ou "rã", especialmente o "Sapo da Sorte nas Finanças" (chinês tradicional: 招财蟾蜍; Pinyin: zhāocái chánchú; lit. sapo da prosperidade) ou Sapo de Três Pernas da Sorte, um símbolo popular de prosperidade da China.

sábado, 17 de junho de 2017

Menu Mitologia: O Guerreiro Josué

O GUERREIRO JOSUÉ



Josué, originalmente chamado de Oséias, foi um líder de Israel, sucessor do profeta Moisés. Depois da morte de Moisés, Josué liderou o povo de Israel na conquista das cidades-estados da terra de Canaã e foi responsável por conduzir os israelitas à Terra Prometida por Yahweh (Deus) a seus antepassados, que estava habitada há séculos por um povo perverso, pecador e violento.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Menu Mitologia: Iemanja a Rainha do Mar

IEMANJÁ, A RAINHA DO MAR



Iemanjá é a orixá africana do povo Egba, a divindade das águas doces. Seu nome deriva da expressão “Yèyé omo ejá” (“Mãe cujos filhos são peixes”). É também conhecida no Brasil pelos epítetos Iyá Ori, Mãe d'água, Rainha do Mar, Sereia, Inaê, Aiucá, ou Maria princesa do Aioká. É conhecida popularmente como Dona Janaína. No dia 2 de fevereiro, celebra-se uma grande festa em homenagem à "Rainha do Mar", que é considerada a orixá mais popular do Brasil.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Menu Mitos e Lendas: Guilherme Tell

GUILHERME TELL



Guilherme Tell foi um herói lendário do início do século XIV, que teria vivido no cantão de Uri, na Suíça.

Guilherme era conhecido como um especialista no manejo da besta. Na época, os imperadores Habsburgos lutavam pelos domínios de Uri e, para testar a lealdade do povo, Hermann Gessler, um governador tirano, pendurou um chapéu num poste de uma praça. Todos que por lá passassem teriam de fazer uma saudação como prova do seu respeito. O chapéu era guardado por soldados que se certificariam que as ordens fossem cumpridas.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Bestiário Mitologico

Ola amigos trago para vocês um Bestiário com os principais monstros, espíritos, demônios, anjos e outros seres da mitologia humana espero que gostem. (Este post sera atualizado sempre que possível)

ASWANG

Aswang é um ghoul vampiresco do Folclore Filipino. O nome aswang significa praticamente ‘cachorro macabro’ devido a sua aparência que em algumas regiões é tida como a combinação de um lobisomem com um vampiro. Algumas vezes essa criatura é confundida com os Carniçais, principalmente quando se alimentam de cadáveres.

A aparência de um Aswang varia de acordo com muitas historias, o que se teve uma conclusão que ele pode ser uma criatura mutante, capaz de assumir outras formas de animais.

Alguns contos revelam que os Aswangs podem assumir a forma humana, vivendo disfarçado entre os humanos locais, sendo mais silencioso e misterioso que o comum, e espera anoitecer para tomar sua forma original, um monstro horrível de língua comprida que é usada para perfurar carne como um tubo, tem focinho de morcego e uma cabeça parecida com a de um cachorro feroz, sua pele é cinzenta e escura, olhos brilhantes prateados , possuem garras perfurantes como agulhas e suas vértebras traseiras parecem aumentar como uma crista quando está em sua forma original.

Menu Mitologia: Tlaltecuhtli

TLALTECUHTLI



Tlaltecuhtli ("Aquela que dá e devora a vida") era uma monstruosa divindade asteca, associada a terra. Seu nome é masculino, porém os textos astecas referem-se a esta divindade como uma deusa. Além disso, suas representações em códices e estátuas exibem claras características femininas. 

terça-feira, 13 de junho de 2017

Menu Artigos: A cabeça de Nun-Kandi

A CABEÇA DE NUN-KANDI

Post Original: Aqui



"Era uma coisa medonha e abjeta. Uma cabeça semi-descarnada, suspensa por um aparato encerrado numa cúpula de vidro. A coisa deixava transparecer uma aura de meliflua maldade. Era algo horrível de se ver, parecendo um dos troféus obtidos pelas tribos de caçadores de cabeças da África Setentrional. Tive um sobressalto ao ver a coisa e senti como se as órbitas ocas estivessem de alguma forma a me observar. E quando senti um arrepio escalando pelas costas, foi como se os lábios rachados da coisa de alguma estivessem arqueando em um horrível esgar de caveira".

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Menu Mitologia Egípcia: A reverencia do Sagrado Feminino

A REVERENCIA DO SAGRADO FEMININO



Na cultura egípcia, a reverência ao Sagrado Feminino remonta à era neolítica. A representação da criadora assumiu várias manifestações que podem ser sintetizadas na imagem da “Árvore da Vida”, que oferece, pelos seus frutos ou folhas, a água da vida, seja para a existência terrena, seja para a passagem da alma de uma dimensão para outra.

Menu Mitologia: O Dia dos Namorados

O DIA DOS NAMORADOS



Nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, o"Dia dos Namorados" é chamado de "Dia de São Valentim", e é  comemorado em 14 de fevereiro. No Brasil, a data foi mudada para 12 de junho — uma forma de estimular as compras nessa época.

A comemoração teria se originado na Roma antiga. O padre Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras, acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.

 Por descumprir as ordem do imperador, Valentim foi condenado à morte. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, muitos jovens jogavam bilhetes encorajadores em sua cela. Um deles veio de Astérias, filha cega de um carcereiro por quem Valentim se apaixonou. Ele, milagrosamente, devolveu-lhe a visão.

Antes de partir, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como "Your Valentine" ("Seu Valentim"), expressão ainda hoje utilizada nos cartões de Valentine’s Day.

sábado, 10 de junho de 2017

Menu Artigos: Malleus Monstrorum Resenha

MALLEUS MOSNTRORUM - RESENHA
Por Daniel Cenoz (Cuervo)



Para quem é fã de Lovecraft e joga Call of Cthulhu, este livro é um prato cheio. Não é apenas mais um bestiário, mas uma fantástica fonte de informações que retrata exaustivamente centenas de criaturas do Mythos e a melhor parte: dá um enfoque novo a muitas delas, permitindo ampliar as possibilidades de situá-las de forma inovadora, surpreendendo seus jogadores e criando melhores oportunidades de introduzir investigações.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Mitologia Egípcia: Deuses do Egito

Ola pessoal vamos conhecer um pouco mais sobre o antigo Egito? trago a vocês um compilado com alguns dos principais deuses desta terra tão enigmática. Este post sera atualizado sempre que forem adicionados mais deuses .



Rá ou Ré, é o deus do Sol do Antigo Egito. No período da Quinta Dinastia se tornou uma das principais divindades da religião egípcia identificado primordialmente com o sol do meio- dia. O principal centro de seu culto era a cidade de Heliópolis.RÁ, o criador dos deuses e da ordem divina, recebeu de Nun seu pai o domínio sobre a Terra, mas o mundo não estava completamente acabado. Rá se esforçou tanto para terminar o trabalho da criação que chorou. De suas lágrimas, que banharam o solo, surgiram os seres humanos, masculinos e femininos. Eles foram criados como os deuses e os animais e Rá tratou de fazê-los felizes, tudo o que crescia sobre os campos lhes foi dado para que se alimentassem, não deixava faltar o vento fresco, nem o calor do sol, as enchentes ou as vazantes do Nilo. Como era considerado o criador dos homens, os egípcios denominavam-se o "rebanho de Rá". O deus nacional do Egito, o maior de todos os deuses, criador do universo e fonte de toda a vida, era o Sol, objeto de adoração em qualquer lugar. A sede de seu culto ficava em Heliópolis, o
mais antigo e próspero centro comercial do Baixo Egito. Na Quinta Dinastia Rá, o Deus-Sol de Heliópolis, tornou-se
uma divindade do estado. Foi retratado pela arte egípcia sob muitas formas e denominações e era também representado por um falcão, por um homem com cabeça de falcão ou ainda, mais raramente, por um

Menu Mitologia Nórdica: Bergelmir

BERGELMIR

Na mitologia nórdica, Bergelmir é um dos jotunn (gigantes de gelo), filho de Thrudgelmir e neto de Ymir, o primeiro gigante. 

Ymir foi morto por Odin e seus irmãos, e o sangue que verteu dos ferimentos de seu corpo era tamanho que acabou causando um verdadeiro dilúvio. 

Bergelmir e sua esposa sozinhos entre os gigantes foram os únicos sobreviventes da enorme dilúvio de sangue que fluiu das feridas de Ymir quando ele foi morto por Odin e seus irmãos Vili e VE . Eles escaparam do dilúvio sanguinária por subir em um objeto e, posteriormente, tornou-se os progenitores de uma nova raça de gigantes de gelo.

Muitos jotunns morreram durante a inundação, e sua raça teria sido extinta se Bergelmir e sua esposa não tivessem usado um tronco oco de árvore como jangada e assim se salvarem. Juntos, chegaram até Jotunheim e lá eles recomeçaram sua vida e deram continuidade a raça dos gigantes de gelo.

Desde então, a inimizade estabeleceu-se, definitivamente, entre deuses e gigantes, cada qual vivendo livremente em seu território, mas sempre alerta contra o inimigo.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Menu Mitologia Grega: Tique

TIQUE - FORTUNA



Tique (em grego: Τύχη, transl. Tykhe, "sorte"), nos antigos cultos gregos, era a divindade tutelar responsável pela fortuna e prosperidade de uma cidade, seu destino e sorte – fosse ela boa ou ruim. Sua equivalente na mitologia romana era Fortuna.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Menu Artigos: Ferradura

FERRADURA



A Ferradura é um objeto que simboliza a sorte, a energia positiva e a proteção. Em muitas culturas tem a função de amuleto, talismã de proteção.

O uso das ferraduras como talismãs protetores se originou na Europa, mais precisamente na Grécia Antiga. Para os gregos, o ferro era o mais poderoso dos elementos que os protegia de todo o mal e, por isso, a ferradura simbolizava um amuleto para atrair energia positiva e boa sorte.
Ademais, os agricultores colocavam as ferraduras acima das portas das casas, dos celeiros e dos estábulos para assim, afastar os maus espíritos. Além disso, como seu formato lembrava a Lua crescente, simbolizava sobretudo a fertilidade e a prosperidade. Da mesma maneira, os ciganos utilizam a ferradura como um talismã para afastar o azar que simboliza a fortuna e a boa sorte.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Menu Mitologia: Relicário Mitológico

RELICÁRIO MITOLÓGICO




Ola amigos da Arcanoteca, seguindo a solicitação de um de nosso queridos leitores, começamos hoje o Relicário Mitológico que sera como um Bestiário só que ao invés de criaturas, monstros e demônios essa sera uma "lista" de itens, armas, objetos, jóias e ferramentas que existem na mitologia. Esta postagem assim como algumas outras postagem do blog, será atualizada com mais e mais informação sempre que possível, tal qual um dragão vamos acumular uma infinidade de itens mágicos e objetos de poder. Espero que gostem. 

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Menu Mitologia: Chalchiuhtlicue

CHALCHIUHTLICUE



Chalchiuhtlicue (Chalciuhtlicue ou Chalcihuitlicue) é uma deusa asteca da fertilidade e do batismo, associada as fontes de água doce como rios e lagos. Seu nome significa "Aquela Que Veste Uma Saia de Jade.  Ela é a consorte (ou irmã, de acordo com outras versões) de Tlaloc, o deus da chuva, com quem teve Tecciztecatl, um deus da lua asteca. Em alguns mitos, Chalchiuhtlicue era esposa de Xiuhtecuhtli, uma deidade sênior do panteão asteca.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Menu Mitologia Nordica: Skoll e Hatti

SKOLL E HATI



Na mitologia nórdica, Skoll (ou Sköll, "Treachery" ou"Traidor") e Hati (antigo nórdico "Odioso") são dois lobos gigantes, filhos de Fenrir com uma giganta, que segundo o Völuspá e o Gylfaginning, é Angrboda - mãe de Fenrir e portanto, sua avó. Skoll persegue o Sol diariamente, enquanto Hati persegue a Lua. 

Skoll é um lobo que persegue os cavalos Arvákr e Alsvid, os quais puxam a biga que carrega o sol (coincidentemente designado também pela palavra Sol), tentando comê-la (nessa mitologia, Sol era uma deusa).

Skoll tinha um irmão, chamado Hati, que caçava a lua. Ambos são filhos de Fenrir portanto netos de Loki. Tanto Skoll quanto Hati alcançarão suas presas, devorando-as e iniciando o ragnarok.

História
No início dos tempos, Odin, o Pai-De-Todos, colocou o Sol e a Lua em carruagens mágicas para voarem através do céu. O deus disse ao Sol e a Lua para tomarem os seus carros e viajarem por todo o céu uma vez por dia, mas não foi assim que aconteceu. 

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Menu Artigos: American Gods

AMERICAN GODS




Deuses Americanos é uma espécie de Sandman para adultos. Um romance de Neil Gaiman passado no mundo “real”, onde um sujeito com o improvável nome de Shadow Moon cai no meio de uma literal Guerra dos Deuses.

A série do canal Starz tem Gaiman como produtor executivo, e demorou o tempo certo para sair. A produção é impecável, o clima de road movie foi mantido e o texto atualizado, afinal se até os deuses evoluem, um livro de 2001 pode ser atualizado para os dias atuais. 

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Menu Mitologia Oriental: A lenda das Kitsunes

A LENDA DAS KITSNES




A lenda das Kitsunes é muito popular na mitologia japonesa, é uma raposa mágica, uma criatura da classe Momonoke (espíritos animais que se transformam em humanos, como os Bakenekos, Tengus e Tanukis). É dito que, sua imagem representa ardileza e inteligência e, de acordo com as lendas, são animais com poderes místicos, sagrados ou amaldiçoados. Poderes que aumentam com a sua idade e sabedoria, a cada 100 anos, recebem uma nova cauda e quando atingem nove, tornam-se semideuses. Devido a seu poder e influência, recebem oferendas como se fossem divindades.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Menu Mitologia Nórdica: Surtur

SURTUR



Surtur, Surtr ou ainda Surt (Antigo Nórdico "Negro" ou  "Aquele moreno"), é o jötunn ancião, líder dos gigantes de fogo do Muspelheim. Surtur é citado na Edda poética, compilada no século 13 a partir de fontes tradicionais mais adiantadas, e na Prosa Edda, escrita no século 13 por Snorri Sturluson. Em ambas as fontes, Surtur é anunciado como sendo uma figura importante durante os eventos do Ragnarök, carregando sua espada brilhante, ele irá para a batalha contra os Æsir, tendo um confronto com o grande deus Freyr, e depois as chamas que ele traz vão engolir a Terra. É O assassino de dois irmãos de Odin, Vili e Ve, E certamente deve ser considerado tanto o  maior inimigo de Odin quanto de Asgard.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Menu Links: Rolador de Dados para RPG

ROLADOR DE DADOS ONLINE PARA RPG



Esse rolador(meu favorito) permite que você escolha entre um grande número de tipos de dados, com diversas faces como: 4, 6, 8, 10, 100, 12, 20. Além disso, você pode escolher um número diferente de dados e adicionar modificadores para os resultados. Os resultados finais são mostrados na coluna do lado direito e você pode ver os resultados anteriores também. Pode levar algum tempo para se acostumar com isso, mas uma vez que você fizer isso, você  vai gostar.

http://www.wizards.com/dnd/dice/dice.htm

sábado, 27 de maio de 2017

Menu Mitologia Nórdica: Audumla

AUDUMLA




A vaca gigante Audumla (também Audumbla, Auðhumbla e Audhumla) é na mitologia nórdica um dos dois seres a surgirem do encontro entre as chamas de Muspelheim e o gelo de Nifheim. O outro ser foi Ymir, o primeiro gigante de gelo. Das tetas de Audumla corriam quatro rios de leite, com os quais ela alimentava Ymir e sua prole, aumentando a força e a violência dos mesmos.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Menu Mitologia Nordica: Buri

BURI



Buri (Buro, Búri) foi o primeiro deus da mitologia nórdica. Acredita-se que seu nome significa "O Produtor". Buri não é mencionado em lugar algum da Edda Poética, figurando apenas na Edda em Prosa de Snorri Sturluson.

Menu Links: Gerador de Personagens para Legend of the Five Rings (Rokugan)


GERADOR DE PERSONAGENS PARA LEGEND OF THE FIVE RINGS 4E (ROKUGAN)



Ola amigos da Arcanoteca, hoje trago para vocês um programa que cria personagens para o RPG Legend of the Five Rings também conhecido como Rokugan, um cenário oriental muito famoso no Brasil, que esta em sua 4ª edição. O link permite baixar e instalar o programa. 
Espero que gostem. 

https://sourceforge.net/projects/l5rcm/

att. MárcioLasombra

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Menu Vídeos: Rei Arthur

REI ARTHUR

Ola amigos da Arcanoteca, hoje trago mais um vídeo de um do canais que eu mais gosto, o Nerdologia História onde vamos investigar se o lendário Rei Arthur realmente existiu.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Menu Mitologia Grega: Dâmocles

DÂMOCLES



Dionisio era um monarca de Siracusa, a cidade mais rica da Sicília. Ele vivia num palácio cheio de requinte e luxo, atendido por criados que lhe satisfazia todas as vontades. Naturalmente por ser rico e poderoso, muitos invejavam sua sorte. Dâmocles, um de seus amigos, frequentemente falava da sorte de Dionisio. Vendo que o monarca usufruía de tanta mordomia, supunha Dâmocles que Dionisio era o homem mais feliz do mundo. 

terça-feira, 23 de maio de 2017

Mitologia: Dragões

DRAGÕES




Dragões ou dragos (do grego drákon, δράκωυ) são criaturas presentes na mitologiados mais diversos povos e civilizações. São representados como animais de grandes dimensões, normalmente de aspecto reptiliano(semelhantes a imensos lagartos ou serpentes), muitas vezes com asas, plumas, poderes mágicos ou hálito de fogo ou gelo. A palavra dragão é originária do termo grego drakôn, usado para definir as grandes serpentes.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Menu Contos: Entre Escorpiões (Rokugan)

Entre Escorpiões




"Eu não entendo, sensei", Haikono falou quietamente, a frustação em sua voz quase imperceptível. O jovem scorpion tentava o seu melhor para manter sua voz baixa durante a corte. Sua máscara de seda quase não conseguia esconder sua sensação de completa confusão e raiva que crescia dentro dele.

Próximo ao jovem rapaz, Shosuro Daigo quietamente observava a sala com olhos neutros e uma expressão maliciosamente alegre.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Menu Mitologia Grega: Creso e a sabedoria para sempre

CRESO e a Sabedoria para Sempre



Creso, o poderoso e riquíssimo rei da Lídia, jamais esquecia de agradar os deuses e lhes dedicava templos esplendorosos, mas não se descuidava das artes e da ciência. Por isso, convidava para sua corte os grandes mestres da época e os recompensava generosamente pelos ensinamentos que ministravam. Foi assim que conheceu Sólon, um dos sete sábios daquela época. 

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Menu Artigos: The Grand Grimoire of Cthulhu Mythos Magic

THE GRAND GRIMOIRE OF CTHULHU MYTHOS MAGIC
- Magias de Call of Cthulhu em um único Tomo (RESENHA)



Por Marco Poli de Araujo

O BÁSICO

Edição 2017, no momento apenas em .pdf, 202 páginas (192 de texto, restante de índices e capas), miolo p&b, com títulos em bordô, ilustrações coloridas intermeadas.
Disponível em pdf por U$ 19,95

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Menu Mitologia Grega: Cécrops, O Primeiro Rei de Atenas

CÉCROPS, O Primeiro rei de Atenas



Cécrops, que significa "face com cauda", tinha o corpo metade humano, metade serpente. Diz-se que este lendário grego foi o primeiro rei e fundador de Atenas, um herói cultural que teria ensinado aos atenienses sobre o casamento, a leitura, a escrita e o cerimonial de sepultamento. Uniu todos os povos da região, não através da força e da guerra, mas com sabedoria, poder de persuasão, bons conselhos e boas obras. Cecrops trouxe todas as tribos e clãs que estavam espalhados nas florestas, estabeleceu-se em doze municípios e elegeu um Senado; uma assembléia de homens sábios e prudentes para governar, administrar e cuidar da justiça.

sábado, 13 de maio de 2017

Menu Mitologia: O Dia das Mães

O DIA DAS MÃES



Dia das Mães, também designado de Dia da Mãe, é uma data comemorativa em que se homenageia a mãe e a maternidade. Em alguns países é comemorado no segundo domingo do mês de maio (como no Brasil e na Irlanda). Em Portugal é comemorado no primeiro domingo do mês de Maio.

A mais antiga comemoração do dia das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses. A Enciclopédia Britânica diz: 

"Uma festividade derivada do costume de adorar a mãe, na antiga Grécia. A adoração formal da mãe, com cerimônias para Cibele ou Rhea, a Grande Mãe dos Deuses, era realizada nos idos de março, em toda a Ásia Menor".

Menu Artigos: A Batalha Mística da Grã Bretanha

A BATALHA MÍSTICA NA GRÃ BRETANHA
- Dion Fortune e a magia como arma na Segunda Guerra




Guerra e Magia têm sido companheiros de cama regulares desde o início dos tempos. Durante conflitos e em tempos de turbulência, vale tudo para superar os inimigos e derrotá-los. E se magia constitui uma espécie de trunfo ou arma secreta capaz de assegurar a vitória, com certeza valia a pena explorá-la. 

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Menu Artigos: OVERPOWER RPG

OVERPOWER RPG

Hoje trago para vocês, amigos da Arcanoteca, uma Resenha de um Sistema muito bom para quem gosta de jogar RPG com temáticas ligadas a Animes de ação e combates no melhor estilo Dragon Ball. Trata-se de um livro modulo básico que esta em sua segunda edição digital. 

Lhes Apresento: 

Autor Marcos Bonatto.

O QUE É

O Overpower é um roleplaying-game de mesa para dois ou mais jogadores, preferencialmente de três a cinco. Destes, um terá a função especial de controlar o jogo, sendo designado como Mestre. Os demais jogadores serão responsáveis por criar e interpretar personagens, bem como tomar ações por eles, aqui designados apenas como jogadores. Como todo RPG de mesa o jogo precisa da utilização de dados para rolar testes e de fichas com os detalhes dos personagens onde são anotados a experiencia, e itens que o personagem venha a ganhar, bem como o seu nível de evolução. 

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Menu Vídeos: Mulher Maravilha e sua origem Mitológica

MULHER MARAVILHA E SUA ORIGEM MITOLÓGICA

Ola queridos amigos da Arcanoteca, hoje lhes trago mais um excelente vídeo que mistura mitologia com heróis de quadrinhos, mais  especificamente, com a Mulher Maravilha. 
Esse vídeo é do ótimo canal Foca na História a qual eu lhes recomendo que acompanhem pois sempre trás um primoroso conteúdo. 



quarta-feira, 10 de maio de 2017

Menu Artigos: O Sabre de Luz

O SABRE DE LUZ



Na Trilogia Original de Star Wars, as únicas cores dos sabres de luz são vermelho, azul e verde. 

Em Uma Nova Esperança, tanto o sabre de luz de Obi-Wan e o de Anakin são azuis, enquanto o sabre de luz de Darth Vader é o vermelho. Isso funciona como simples código de cores pra distinguir os bons e os maus, assim como os lasers de navios imperiais são verdes, enquanto os lasers de navios rebeldes são vermelhos.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Menu Alquimia: A Cura pela Verdade no Xamanismo

A CURA PELA VERDADE NO XAMANISMO



Por Yoskhaz

Os povos nativos americanos, adeptos do xamanismo, têm um símbolo sagrado chamado Roda de Cura ou Roda da Vida. Não à toa, entendem que viver é um processo infinito de cura, caminhar em beleza pela infinita estrada da vida, nas palavras de um ancião Navajo. O símbolo tem a sagrada missão de nos lembrar que através de nossas relações vamos encontrar o remédio ou o veneno para as nossas dores. Na medida que aprendemos quem somos e pacificamos o nosso convívio com tudo e com todos saltamos um aro na Roda da Vida. Ficamos mais forte para seguir adiante.

Certa vez ouvi de um sábio monge tibetano que o Budismo não era religião, tampouco filosofia. Budismo é convívio social, esclareceu, pois toda teoria só terá alguma serventia se aplicado aos meus relacionamentos do cotidiano. Conhecimento que não é vivido é como pão na vitrine, embora encha os olhos, não sacia a fome.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Menu Mitologia Grega: Atalanta e Hipomenes

ATALANTA E HIPOMENES




Logo depois de seu nascimento Atalanta foi abandonada numa floresta por seu pai que desejava descendentes masculinos. Nas montanhas uma ursa amamentou a criança. Certa vez, quando uns caçadores passavam por aquela região, encontraram a criança, levaram-na e a criaram. Atalanta cresceu nas frescas montanhas recobertas de florestas, tornando-se forte e ágil como uma gazela e seu maior prazer era caçar com sua lança. 

Em Calidon os primeiros frutos da colheita deviam ser sacrificados aos deuses. Infelizmente o rei Eneus esqueceu-se do sacrifício e, por isso, Artemis furiosa com a negligência enviou sobre o seu reino um enorme e furioso javali, que destruia plantações e colheitas. O rei mandou chamar os mais nobres homens para lutar contra o terror e o vencedor receberia a pele do javali. No entanto, como nenhum homem conseguisse vencê-lo, Atalanta se ofereceu e conseguiu lutar e vencer o terrível javali.

sábado, 6 de maio de 2017

Menu Vídeos: A queda de Esparta

A QUEDA DE ESPARTA

Mais um vídeo do ótimo canal Foca na História 
Esparta reinava soberana sobre a Grécia após derrotar Atenas. Contudo seus abusos fizeram com que a mítica cidade de Tebas se rebelasse contra a opressão. 



sexta-feira, 5 de maio de 2017

Menu Alquimia: O Eremita

O EREMITA



«São seus haveres pessoais que ele (o Eremita) não deixa brilhar assim, senão na medida útil para guiar a si mesmo. Ele é modesto, e não se faz nenhuma ilusão sobre sua própria ciência, que sabe ínfima em relação àquilo que ignora. Igualmente, renunciando a muitas orgulhosas ambições intelectuais, contenta se em recolher com humildade as noções que lhe são indispensáveis para a realização de sua tarefa terrestre.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Menu Mitologia Grega: Dactilus, os criadores dos Jogos Olímpicos

DACTILUS, os criadores dos Jogos Olímpicos 




Segundo a Mitologia Grega, nas encostas do Monte Ida, a montanha mais alta de Creta, moravam Hekaterus - o deus das mãos e sua esposa Ankhiale -  deusa do calor do fogo, irmã de Prometeu que roubou o fogo para dar à humanidade. Hekaterus e Ankhiale representavam o poder das mãos para utilizar o fogo e eram os pais das 5 Hekaterides e dos 5 Dáctilus - os Dedos: Héracles de Ida (dedo polegar), Paeonaeus ou Aeonius (dedo indicador), Epimedes (dedo médio), Jasius (dedo anelar) e Idas ( dedo mindinho). 

Os Dactilus casaram com suas irmãs dando origem aos Curetes, Cabiros e Coribantes. Eles eram os antigos ferreiros que inventaram a arte de trabalhar os metais dando-lhes formas usando o fogo. Assim criaram a bigorna, o martelo, a espada e outras ferramentas. Também eram considerados curandeiros e feiticeiros. 

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Menu Vídeos: Fenrir, a Besta do Ragnarok

FENRIR A BESTA DO RAGNAROK

Mais um vídeo do ótimo canal Foca na História 
Fenrir, o terrível lobo da Mitologia Nórdica, é uma das criaturas mais famosas dos mitos escandinavos. Filho de Loki, o Lobo Fenrir foi gerado com um único propósito, destruir os deuses de Asgard.



terça-feira, 2 de maio de 2017

Menu Alquimia: contemplando o Invisível

CONTEMPLANDO O INVISÍVEL



Por Gilberto Antônio Silva

Vivemos em um mundo cada vez mais materialista e cientificista. Qualquer coisa que sobressaia da atividade normal (ou reconhecida como tal) automaticamente é rejeitada e atacada. Apenas o que é visível, mensurável, demonstrável e “cientificamente comprovado” pode ser aceito. Mas sabemos que o Universo não se limita a isso.

Já tive oportunidade de mencionar anteriormente que a filosofia oriental é, em grande parte, ignorada pelo Ocidente, que acredita que se trata de meras superstições, crenças religiosas ou pensamentos irracionais (como se isso fosse possível). Apenas a filosofia ocidental, baseada na objetividade e na análise intelectual minuciosa de cada fragmento de pensamento ou ideia, é realmente uma “filosofia”.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

sábado, 29 de abril de 2017

Menu Mitologia RPG: Os Valar (Tolkien)

OS VALAR (J. R. R. Tolkien)



Os Valar e as Valier (singular, respectivamente Vala e Valië) são, na obra do escritor britânico J.R.R.Tolkien, deuses chamados Ainur que entraram em Eä, a Terra, no início dos Tempos para construí-la, guardá-la e governá-la. A palavra Valar significa, na língua élfica Quenya, Poderes do Mundo, ao passo que Valier, também em élfico significa Rainhas dos Valar. Outros nomes que são dados a eles são os Grandes, os Governantes de Arda, os Senhores do Oeste, os Senhores de Valinor e Poderosos de Arda.

Consta que o Ser Supremo, chamado Eru Ilúvatar, vivia só nas Mansões Eternas de Eä, até que, de seu pensamento, ele criou os Ainur, que são sua companhia. Os Ainur cantavam sozinhos ou em pequenos grupos, pois de início só compreendiam a parte da mente de Eru da qual tinham sido criados. Mas eles passaram a se tornar mais harmoniosos, passaram a compreender os outros Ainur, e então Eru Ilúvatar reuniu todos eles diante de si e propôs um tema. Os Ainur deveriam ornamentar este tema, fazendo uma Música, a chamada Ainulindalë, a Música dos Ainur. Eles assim fizeram mas então um dos Ainur, o mais poderoso deles, chamado Melkor, provocou uma dissonância, almejando fazer uma música própria, mas sua música era repetitiva e cansativa, e alguns dos Ainur próximos a ele começaram a desviar-se do propósito inicial de Eru, e assim a dissonância foi se espalhando, até que Eru se levantou do trono, sorrindo, e ergueu a mão esquerda, sugerindo um novo tema.

Menu Mitologia Grega: Caos, o deus da Desordem

CAOS o deus da Desordem



Caos era o deus grego primordial. Representava a desordem inicial do mundo. Segundo a cosmogênese narrada no mito, com o surgimento de Eros começou a haver alguma ordem. Caos representava, ao mesmo tempo, uma forma indefinida e desorganizada, onde todos os elementos encontravam-se dispersos, e uma divindade rudimentar capaz de gerar.

Tal como a Terra em seus tempos originais, nele estavam reunidos os elementos que compuseram todos os seres – mortais e imortais. De Caos nasceram Nix e Érubus e ambos uniram-se para a geração de novas deidades. No próprio Caos havia, entretanto, a força capaz de trazer-lhe ordem: Eros, tão antigo quanto os próprios elementos dispersos no Caos. Junto a ele, também Anteros. São forças de coesão e separação, espécie de yin e yang na visão grega dos primórdios. 

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Menu Alquimia: Os Alquimistas Modernos

OS ALQUIMISTAS MODERNOS



Por Yoskhaz

Um dos grandes sonhos da humanidade através dos tempos é transformar ferro em ouro. O outro é a imortalidade. Assim, a humanidade atravessou os séculos a alimentar a ambição de viver para sempre, de maneira nababesca e sem o esforço do trabalho cotidiano. Bastaria um pedaço de metal barato no caldeirão em ebulição para que transformasse a mais antiga e preciosa mercadoria que o mercado tem notícia. Castelos luxuosos, mesa farta, prazeres todos para todo o sempre.